quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O perfeito, é tão imperfeito! E o verdadeiro, parece-me tão irreal...

  Há já algum tempo que penso muito na vida. Acha-mo-la tão perfeita que não queremos partir, nem que os nossos partam também. Para mim, quando tiver que ser, que seja. Mas até lá, prometo que tentarei sempre ser feliz - e eu não costumo prometer nada. Como se é feliz? Simples. A mim basta apreciar a quantidade de vida a minha volta...

  Amanhã a Terra tremerá até ao número 6, tenho medo. Mas os antecedentes já se fazem ver há algum tempo... Em termos monetários está tudo bem, e isso ainda me assusta mais.
  O meu avô ainda não morreu para não causar tanta ainda mais tristeza à minha avó - quando acontecer, que aconteça tudo de uma vez...
  Já não falo com a minha namorada há cinco dias, pode ser que isto mude. Afinal, nem tudo é mau.
  Nem tudo é mau mesmo. Eu e a minha mãe não discutimos há algum tempo. Perfeito, estamos suficientemente forte para que nos ajudemos mutuamente.
  Simples isto, hoje é preparar uma mala e amanhã é dormir vestido.
Enviar um comentário