sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Acelero para ir mais devagar

Sim, agora não há outra maneira. Mas não é mau! Que bom! Está a ser perfeito! Correr, saltar, brincar bastante como a criança que sou, conhecer. Sim, não paro de querer conhecer mais este mundo, esta gente, esta beleza. Às vezes sim, é preciso acelerar para voltar a ir bem! Agora é "Bom Ano", o que passou foi ótimo, e o próximo vai ser melhor ainda!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

  Máscaras?
  Sinto que estou rodeado delas! E quando, por vezes, me recaio, enfiam-me a minha. Isto é, passo para o lado mau da coisa. Faço asneira de verdade, sorrio a quem não devia, desiludo quem não devia, isso. Mas logo que reparo nisso tiro-a! Não a quero posta! Ao rossar cria borbulhas. Borbulhas! Que problema! Prefiro a nudez, como toda a gente, no fundo. Todos os mascarados, no fundo, gostavam de ver a sua pele. Nua, perfeita.
  E o que nos faz sermos mais almas é isso! É o fato de nos mostrarmos. Só mostramos o que queremos, é certo, mas quando os corações se conhecem, então o que mostramos é menos do que o que é permitido conhecer! E é assim que eu sei que ela está amuada, ou chateada, ou feliz. É assim que eu sei se devo avançar ou não, abraçar ou não, é assim que eu sei que tenho amigos!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

É a vida...

  Sim, provavelmente é a mulher da minha vida. Mas se não me deixa tornar o homem da sua, então acho que não estou à altura. Sinto que o que preciso é crescer, e para crescer é necessário que seja criança. É necessário saltar, correr, conhecer. O que preciso é que me ralhem, não que me dêem palmadinhas, o que preciso é fazer asneiras, não agradar... O que preciso é viver!
 
Bárbara, é a nova autora deste blog.
Teria muita coisa para dizer sobre ela, mas digo apenas que um segundo ao seu lado já preenche uma vida.

domingo, 26 de dezembro de 2010

“If it’s worth having, it’s worth fighting for.”

Aprendi que as pessoas vêm e vão por alguma razão. Há que aprender a deixar chegar e a deixar partir. Há que aprender a abrir e a fechar o coração. Há que aprender a acertar o relógio e a aposentar as armas. Há que saber o tempo e o lugar adequado a cada luta específica e, principalmente, há que saber esperar.
É difícil, porque, se esperarmos de menos, aqueles por quem lutamos fogem ainda mais depressa, crescendo a distância e a apoucando-se as hipóteses de os voltarmos a alcançar e obrigá-los a renderem-se. Por outro lado, se esperarmos demais, o tempo tira-nos as armas e oferece-as àqueles por quem lutamos. E tão bem que eles as sabem utilizar, disparando certeiramente no nosso coração.
No fim de todas as contas feitas, talvez o melhor seja mesmo lutarmos por nós próprios. E talvez isso envolva lutar por um outro alguém, ou talvez não.


(Decidi virar-te costas e ir embora, mas não vou senti os teus passos no meu encalço. Deste-me tanto avanço que me perdeste de vista. Esqueceste-te de que sou rápida ou aposentaste as armas de vez?)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Hoje, doente, só espero que, no fim, depois de chorarem por ter partido, sorriam com uma lágrima por eu ter vivido.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

"Voadores" da actualidade

Do meu teste de Língua Portuguesa, saiu uma boa nota e isto:

  "Voar mais alto!" é o lema de todas as criaturas que se auto-identificam como inteligentes. Dou o exemplo de qualquer homem. Tão armado de luxo desde que sai do ventre da mãe, que é impossível desabituar-se à deslumbrante miséria em que os mendigos vivem. Querem sempre mais: mais roupas caras, mais mulheres bonitas, mais dinheiro no bolso, mais felicidade. Perdão! Mais felicidade não! Mais amostras disso... Isso só se consegue quando se perde: quando se perde um avô, e uma prima, e um pai, e uma irmã, quando se perdem os filhos que saem de casa porque querem armar-se com ainda mais falsos luxos, e quando até a esposa perdem. Nessa altura é impossível ser-se feliz. É impossível ser-se feliz porque se desce à terra, perde-se a vaidade e ganha-se a generosidade. Dá-se então valor à vida. Mas adivinha, já é tarde demais!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

  O que faço aqui é o que faço quando desenho, é o que faço quando jogo à bola, é o que faço para mim... O que faço aqui é com o único propósito de me divertir. É como diz a minha professora, "Você está divertir-se Pedro, nota-se. Continue que o desenho esta a ficar bom".
  O que faço aqui é o que as mulheres fazem quando têm um desejo insaciável. Por exemplo, estão doidas por um chocolate, andam dias sem fim a pensar naquele chocolate, e quando finalmente o acabam de comer, volta tudo ao mesmo. A alegria é saciada e, tão depressa como começou, torna-se em desgosto de novo. Eu sugiro: façam algo que não termine em dois minutos :)

domingo, 28 de novembro de 2010

Não! Não me digam que as pessoas procuram a luz. As pessoas já nem sabem o que é isso.As pessoas procuram quantidade. As pessoas já não sabem distinguir quantidade de qualidade. As pessoas são o que são, e o que são, é fantasia, são mascaras.
Criei este blog para felicitar a vida, mas cada vez mais me apercebo que a vida só existe para os animais. Aqueles seres que raciocinam tanto que não precisam de dizer que são melhores ou mais inteligentes, porque de facto são-no.
 E a Luz, como os professores dizem, é o que devemos alcançar, mas só faz isso quem já esta quase a chegar ao escuro das trevas.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Mascaras insignificantes!

  Cada vez pior! Tantas festas, tantas saídas, tantos amigos que tenho, e quando os quero de verdade, só vejo mascaras! que tédio. Vou a sítios sem espaço para sentar nem para pedir uma bebida. Suplico um liquido e um apoio mas nada, as mascaras ocupam todas as enormes ruas desta minha vida.

sábado, 20 de novembro de 2010

Sim somos Perfeitos!

  A verdade é que todos vivemos a nossa própria mentira. E acreditamos nela piamente... Tudo em nós é perfeito. Desde os pés até à cabeça, tudo funciona melhor que qualquer construção que possamos fazer. Isto porque não fomos nós que o fizemos, claro!
  Somos tão perfeitos que não estamos à altura para o perceber, e é esse o nosso maior erro. Somos tão perfeitos que não percebemos que nos basta sermos nós mesmos, nesta complexa máquina que controlamos; e não fingirmos que precisamos de mais. E não precisamos mesmo de mais, não precisamos de ler isto para refletirmos, nem de nada mais para percebermos que vivemos na verdadeira mentira. Porque se não quiséssemos mais do que a perfeita máquina que controlamos, não passaríamos de primatas, mas os primatas não tinham problemas nesta enorme máquina como nós temos, não tinham problemas mentais, nem respiratórios, nem cardíacos. Podiam haver milhões de máquinas deficientes ou incompletas, que não teriam problemas em subir escadas ou passar em passeios com carros estacionados por cima... Aí vivia-se a verdade do ser.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Se é para voar, voemos tristes racionais.

Viva o absolutismo! Quem manda neste mundo feliz são os ricos. "E os pobres cada vez ficam mais pobres" tal como proclamava a cantora.
  Ah e tal, vamos lá mudar para a Republica porque na Monarquia não é voto por cabeça. E agora? Agora é voto per capita? Se assim fosse não havia necessidade de se fazerem greves... Viva a Monarquia

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Pés na Terra!

  Foi num teste de Português. Cheguei a conclusão que não vivo, sobrevivo. Poupo dinheiro para ter estudos, tenho de ter dinheiro para ter estudos, e até tenho de pedir por favor aos vizinhos para fazer uma festa. Mas não devia ser tudo ao contrário? O lema de todos em vez de ser "Voar mais alto!" não devia ser "Pés na Terra!"? Pois... Eu acho que sim. No teste escrevi que uma pessoa só vive/só é livre quando chega a velho. Afinal de contas, é só aí que perde o que é realmente importante... Perde-se o pai, perde-se a mãe, perde-se a irmã e até os filhos porque vão "Voar mais alto!" como os velhos um dia o fizeram... Aí chega a hora em que não adianta ter um armazém cheio de luxo que juntámos ao longo da vida.
  Perante isto, eu digo aos velhos que já aqui chegaram "Parabéns, agora és sábio. Lamento, a vida está a fugir-te..."

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Pessoa é máscara. Máscara é falsidade. Desculpa mundo verdadeiro, por encher-te de falsidade...

sábado, 6 de novembro de 2010

Justiça

Aprendi que não vale a pena ter-se material, se nao se torna sentimentalmente e verdadeiramente útil. Não gosto de telefones por isso mesmo, afastam-me tanto das pessoas que chego a ter vergonha de falar "cara-a-cara"... nas ultimas horas estive numa muito boa actividade escutista e aprendi que afinal gosto muito mais, por exemplo, duma pulseira que me dao, do que dum carregamento de telemovel... Aprendi que é mais importante um casaco do que um lençol... Aprendo sempre muito, mas desta vez foi especial; talvez porque me sinto em saída.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Hoje

Hoje é o presente, o presente é para agora. Aqui esta uma coisa que não se vê todos os dias; ou melhor, todos sabem, mas ninguém agradece. Ninguém agradece o presente que recebe todos os dias. Todos os dias parece muito, mas quando se vai a ver, já se passou um mês, e um ano, e uma vida... Depois disso pede-se outro presente: que alguém nos dê mais uns anos. Tarde. Se tivesses aproveitado toda a vida para agradecer, para dar um sorriso: à velha que te diz que deixaste uma moeda cair, ou ao caramelo que te bozina na rua, ou à tua mãe que não te deu dez, mas te deu cinco tostões para sobreviveres, se tivesses feito isso, nao terias necessidade de pedir algo a quem nunca viste sequer, estarias satisfeito da vida que levas-te... Mas contenta-te, quando chegares aí, podes sempre dar beijinhos. Adeus...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

domingo, 31 de outubro de 2010

Arte.Factos de uma Vida


  Artefacto é sinónimo de "feito com arte". Tudo o que faço tem sentimento, ou tento que tenha. Tudo o que digo, é com consciência, é com sentimento. Tudo o que faço tem razão, excepto por amor - pode não ter razão nesse caso, mas aí o sentimento será bastante! E se for por amor, então tenho uma razão...
  Quero com isto explicar a razão do nome do blogue. Toda a vida me tenho esforçado para ser melhor. Não para mim, mas para os outros. Não queria parecer um palerma, tinha medo que me excluíssem, que me gozassem. De facto fazia ainda pior... Faltava-me a garra de querer ser eu, o que me faltava era orgulho.
  Agora sou isto, pouco melhor que antes, mas muito pior que amanha! As recompensas que tive pelas provas que a Vida me tem imposto fizeram de mim isto, e por isso só tenho de ter orgulho. Não tenho vergonha de me achar realmente bom, sou-o! Vejo neste mundo à minha volta gente adormecida, tão adormecida que nem sequer dão conta disso. Morrem antes do tempo por causa disso. Têm de acordar! Têm de despertar para a vida! Têm de perceber quem são, o que querem nesta vida! Uma pessoa pode ter tudo, mas se não se sente bem em dizer que é bom no melhor sentido da palavra, se não tem coragem para se erguer, então é certo que não tem nada.
  Penso que o mundo gira a nosso favor, como já o referi varias vezes. E é mesmo, não sou eu a dize-lo, é a minha vida... Tudo o que conto nesta página são factos da minha vida, e até agora só melhorei, só me tornei melhor. A Vida anda sempre ao meu lado. Apoia-me. E se alguns dizem que nos mete obstáculos à frente eu digo que ela nos ajuda a supera-los. E se alguns dizem que ela nos troca as voltas, eu digo que ela nos indica por onde devemos ir...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Vida!

É tão longa que ninguém lhe dá importância. Mas por vezes, e tão repentinamente como começou, torna-se curta demais, a nossa alma derrete. Torna-se frágil, liquida. Escorrega. Afinal a Vida é poderosa, bastante, que medo...Agora acredito na Vida! Não que ontem não acreditasse, mas passei a dar-lhe o devido valor. Agora um sorriso tem ainda mais sentido, um olhar diz-me o que pensas, um beijo conforta-me de verdade. Agora o vento tem ainda mais valor, o sol é ainda mais imponente. Agora respeito o que me rodeia, ou tento...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Se parece, então é porque é...








                                                                                                            Materiais: Tinta da china sobre papel


  A mim parece-me duas almas. dois amores. Unidos pelo coração e com plena consciência do que fazem. Voam.
  Porém, nem tudo é bonito, existe muito negro. muita mentira talvez. Ou então é o mundo em que vivemos, um mundo tão cheio de ódio que mete medo, ate mesmo às almas... 



 Deixo este poema de António Gedeão só para uma pequena reflexão:

IMPRESSÃO DIGITAL
Os meus olhos são uns olhos,
E é com esses olhos uns
que eu vejo no mundo escolhos
onde outros, com outros olhos,
não vêem escolhos nenhuns.
Quem diz escolhos diz flores.
De tudo o mesmo se diz.
Onde uns vêem lutos e dores
uns outros descobrem cores
do mais formoso matiz.
Nas ruas ou nas estradas
onde passa tanta gente,
uns vêem pedras pisadas,
mas outros, gnomos e fadas
num halo resplandecente.
Inútil seguir vizinhos,
querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos.
Onde Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes.
Vê moinhos? São moinhos.
Vê gigantes? São gigantes.
            In Movimento Perpétuo (1956)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O perfeito, é tão imperfeito! E o verdadeiro, parece-me tão irreal...

  Há já algum tempo que penso muito na vida. Acha-mo-la tão perfeita que não queremos partir, nem que os nossos partam também. Para mim, quando tiver que ser, que seja. Mas até lá, prometo que tentarei sempre ser feliz - e eu não costumo prometer nada. Como se é feliz? Simples. A mim basta apreciar a quantidade de vida a minha volta...

  Amanhã a Terra tremerá até ao número 6, tenho medo. Mas os antecedentes já se fazem ver há algum tempo... Em termos monetários está tudo bem, e isso ainda me assusta mais.
  O meu avô ainda não morreu para não causar tanta ainda mais tristeza à minha avó - quando acontecer, que aconteça tudo de uma vez...
  Já não falo com a minha namorada há cinco dias, pode ser que isto mude. Afinal, nem tudo é mau.
  Nem tudo é mau mesmo. Eu e a minha mãe não discutimos há algum tempo. Perfeito, estamos suficientemente forte para que nos ajudemos mutuamente.
  Simples isto, hoje é preparar uma mala e amanhã é dormir vestido.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O que vale mais?

  Vale mais Pedras! Pedras dão abrigo a vidas, serão e, provavelmente já o foram vida também. Uma pedra já foi areia, antes de areia um ser, e antes disso poderá ter marcado. Marcou certamente mais do que palavras, pois as palavras não servem de alimento...
  Pelo contrario, existem palavras. Palavras são palavras, algumas não serão esquecidas, é certo; mas não passam de palavras, e palavras não têm espessura, nem cor, nem tamanho! São palavras...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Monociclo

video 
A arte corre, pedala, grita, num murburinho, bem dentro de mim. Explode, e quando isso acontece, sorrio.


domingo, 24 de outubro de 2010

Encontra o Teu Rumo!

  Todos nós em crianças tivemos muitos sonhos. Queremos ser médicos, jogadores de futebol, astronautas, queremos ser tudo. Maior parte dos destinos não se concretizam da melhor forma e acabamos por ser doentes, adeptos, ou até mesmo mendigos, a contemplar as estrelas.
  Esta introdução para lhes falar, caros leitores, da Lenda Pessoal. Todos temos sonhos quando pequenos, por isso todos temos uma. A Lenda Pessoal é a Felicidade! Todos queremos atingir a Felicidade, a Sabedoria, e por isso temos de lutar para seguir sempre pelo caminho que nos foi escrito. Aprendi que nao devemos seguir por atalhos nem apressar o passo, pois podemos cair ou perder-nos. O importante é não desistir, pois o mundo luta sempre a nosso favor, mesmo quando pensamos que só nos prega partidas. As partidas são testes, enriquecem-nos e deixam-nos sempre mais fortes.

sábado, 23 de outubro de 2010

Linguagem Universal

  Porque tudo se resume à Linguagem Universal! Isso não é mais do que a Natureza... É a força de um gesto, a beleza de um olhar; é saber interpretar um sopro ou um pedaço de verde no meio do cinzento.
  O difícil nao é atingir a sabedoria, é perceber a Linguagem Universal. Toda a gente vive numa procura constante pela sabedoria: querem mais lucros nas empresas, melhores notas na escola, comida na mesa. Para isso roubam, enganam e copiam. Querem mais tecnologia para os mortos que neste mundo vivem; querem mais fama por ajudarem; mais dinheiro para a sua beleza.
  Mas a verdadeira Sabedoria consiste em perceber um olhar; aprender a diferença entre uma simples multidão à nossa volta e uma extraordinária confusão numa viagem pelos sonhos; a verdadeira Sabedoria importa-se mais com a beleza de uma forte trovoada, mais do que com um infernozo dia de sol trancado no trabalho...
A Linguagem Universal é para todos mas apenas alguns a compreendem. Um exemplo? Todos falam com o seu animal de estimação, mas apenas alguns os compreendem!
 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Chamo-me Pedro Soares.

Gosto de artes e das mais simples coisas que a Terra nos dá. Sou capaz de ficar a olhar para uma imagem sem nunca me cansar, tento descobrir o que significa cada cor ou traço que vejo com a curiosidade que uma criança tem quando anda, por exemplo, atrás duma borboleta pela primeira vez na vida. Às vezes sinto uma tão grande vontade de criar, de inovar, de crescer dentro de mim, crescer no que de melhor sei fazer… Arte! Vontade de riscar, de sujar as mãos, pego em material e PUUM! A minha imaginação bem solta e bem presa ao mesmo tempo na minha cabeça, a pensar no que hei-de fazer a seguir!... As ideias cá dentro, fogem como manteiga numa frigideira, tenho de as agarrar… As minhas mãos deixam de me pertencer, correm com uma energia vinda bem cá de dentro do meu ser. Começo a criar sem sequer me aperceber e quando menos espero, estou noutro mundo, o meu… de repente abro os olhos para o mundo real e cá estou eu, com um texto à frente vindo nem sei de onde…