quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Hoje

Hoje é o presente, o presente é para agora. Aqui esta uma coisa que não se vê todos os dias; ou melhor, todos sabem, mas ninguém agradece. Ninguém agradece o presente que recebe todos os dias. Todos os dias parece muito, mas quando se vai a ver, já se passou um mês, e um ano, e uma vida... Depois disso pede-se outro presente: que alguém nos dê mais uns anos. Tarde. Se tivesses aproveitado toda a vida para agradecer, para dar um sorriso: à velha que te diz que deixaste uma moeda cair, ou ao caramelo que te bozina na rua, ou à tua mãe que não te deu dez, mas te deu cinco tostões para sobreviveres, se tivesses feito isso, nao terias necessidade de pedir algo a quem nunca viste sequer, estarias satisfeito da vida que levas-te... Mas contenta-te, quando chegares aí, podes sempre dar beijinhos. Adeus...

Enviar um comentário