domingo, 8 de maio de 2011

Belo. À sua maneira

  Porque todos vêm de forma estranha... Todos vêm algo fechado, só de duas pessoas. Todos vêm vermelho vivo, algo colorido. Todos são capazes de pensar nele como algo belo, que se dá ao parceiro. Está Errado! Completamente ao lado!
  O coração, tem de ser tudo menos isso. Não é um acaso chamar-lhe coração, mas não me digam que é por ser o órgão mais importante, porque seria impossível viver sem rins ou cérebro, não dava para viver nem sequer sem o estômago ou os intestinos! O coração tem de ser algo aberto! Não pode pertencer a duas pessoas! Apenas a uma! Cada um ama como ama e ninguém ama da mesma forma, por isso o coração tem de ser algo só nosso! Tem de ser aberto, aberto a todos! O escuro do nosso interior impede que seja vermelho vivo, chamam-lhe encarnado por isso, é a cor do sangue. O facto de ser aberto faz com que esse sentimento a que chamamos amor flua. Flui através do sangue, encarnado e não vermelho vivo. Faz com que flua ao resto do corpo e é graças a isso que podemos considerar o coração o mais importante, não por mais nada! Quanto à sua beleza, tem bastante. É belo à sua maneira, leva também o ódio e isso, para mim, é o que o torna mais belo! Deslumbrante!

Enviar um comentário